Uncategorized

Óleo de andiroba: Indicações e benefícios para a saúde

Óleo de andiroba

A andiroba, ou Carapa guianensis, é uma planta medicinal da família das Meliáceas. Para entender o poder dela, é interessante lembrar que seus benefícios são reconhecidos oficialmente pelo Ministério da Saúde do Brasil.

A andiroba é parente do mogno, cedro, canjerana e cinamomo. Em tupi-guarani, andi-roba quer dizer ‘gosto amargo’, uma referência às sementes da árvore.

É uma espécie bastante utilizada pelas populações da Amazônia, região da qual é nativa.

Outros nomes da andiroba: andiroba-branca, carapinha, andirova, carapa, angirova, camaçari e castanha-mineira.

As cascas e sementes da andiroba fornecem compostos chamados de meliacinos. Pesquisas revelam que eles têm a capacidade de combater doenças como artrite e câncer de útero.

Os meliacinos ajudam a controlar inflamações e possuem ação antirreumática. E mais: agem como inseticida, uma vez que funcionam como repelente de insetos.

Estudos comprovam que as gorduras encontradas na andiroba podem dificultar o trabalho das enzimas que levam ao acúmulo de gordura corporal. Inclusive, um pesquisador norte-americano já registrou a patente de uso da planta no tratamento da celulite.

Outros usos e benefícios da andiroba e seu óleo

O óleo da andiroba é bastante usado contra inchaços, reumatismo; em contusões, processos de cicatrização de feridas na pele e várias outras situações.

Há quem queime o bagaço da andiroba para afugentar insetos. Produtos feitos com andiroba podem ajudar a preservar móveis, protegendo-os de cupins e outros insetos.

Já na indústria da beleza, o óleo de andiroba serve para fabricar itens como sabonetes, cremes e xampus.

O óleo extraído da planta tem cor amarelada e é extremamente amargo. Exposto a temperaturas abaixo de 25°C, fica em estado sólido, parecido com a vaselina.

Sua composição inclui ainda taninos e ácidos graxos (palmítico, mirístico, oleico e linoleico).

Por todos os benefícios que traz, o óleo de andiroba é vendido em várias regiões do Brasil, além de ser exportado para países como Alemanha, Estados Unidos e França.

Casos nos quais podemos aproveitar a planta:

  • Acne
  • Artrite
  • Coceira
  • Constipação
  • Dermatite
  • Desconforto muscular
  • Diarreia
  • Dor de garganta
  • Erupções cutâneas
  • Febre
  • Gripe
  • Hanseníase
  • Hepatite
  • Herpes
  • Lepra
  • Malária
  • Picadas de insetos
  • Problemas digestivos
  • Reumatismo
  • Tétano
  • Úlceras
  • Vermes intestinais

Curiosidades, aplicações e advertências

A andiroba pode chegar a 30 metros de altura. Floresce uma vez por ano, entre agosto e outubro; frutifica de janeiro a maio, dependendo da região.

No entanto, não é muito forte. Chuvas e ventos intensos são capazes de derrubá-la.

O fruto da andiroba é uma espécie de cápsula que, ao cair no chão, expõe de quatro a seis sementes. É a partir delas que é feito o óleo de andiroba. Portanto, um método totalmente sustentável, que não prejudica a planta.

Antigamente, o óleo de andiroba era usado pelos índios para mumificar a cabeça de seus desafetos e para fins cicatrizantes, antissépticos e anti-inflamatórios.

Marcas de cosméticos possuem linhas de produtos criadas a partir do óleo de andiroba, como a promessa de maciez acetinada para a pele. Sem dúvida, a planta é um importante elemento para a indústria da beleza e bem-estar.

Produtos para os cabelos são outras possibilidades para o óleo de andiroba. O comércio aposta nele para vender a ideia de fios mais sedosos e brilhantes, além do combate à calvície.

Na massoterapia, o óleo aparece como elemento que favorece o relaxamento muscular e o alívio de dores nas costas.

Espero que o post de hoje possa ajudar você a cuidar melhor da sua qualidade de vida e beleza. Mas não deixe de consultar seu médico para aplicar produtos da forma correta e tirar suas dúvidas.

Até a próxima!

Deixe seu comentário!