Uncategorized

Conheça as vantagens do Óleo de Prímula

Óleo de prímula benefícios

Vem da América do Norte a prímula, uma planta também chamada de evening primrose porque é no entardecer que suas flores se abrem. E é desta plantinha que praticamente inspira poesia que se extrai um óleo igualmente impressionante, o Óleo de Prímula.

É um óleo rico em ácido gama linolênico (GLA), um ácido graxo essencial excelente para o bom funcionamento do organismo, e que não é sintetizado naturalmente pelo corpo. Portanto, precisamos dele em nossa dieta.

A carência de ácidos graxos essenciais pode causar síndrome pré-menstrual (a famosa TPM), envelhecimento precoce, dermatite e hiperatividade infantil. Entenda os motivos:

O Óleo de Prímula ajuda a reduzir a perda de água através da pele, otimizando sua hidratação e elasticidade. Pesquisas indicam que o consumo dessa substância eleva a tolerância da epiderme à radiação ultravioleta.

Fonte de GLA, o Óleo de Prímula atua na produção de elementos mediadores da resposta a inflamações provocadas por agentes invasores, reduzindo os sintomas como a coceira.

Portanto, ele participa da manutenção da integridade da pele combatendo a dermatite, que faz cada vez mais crianças e adultos sofrerem principalmente no verão.

Alivia os sintomas da TPM, pois é rico em ácido linolênico, um precursor de prostaglandinas da série 1. Ou seja, matéria de efeito anti-inflamatório e importante na formação de outras que regulam os hormônios femininos.

Assim, atenua alterações de humor, dor nas mamas e inchaço.

Crianças hiperativas podem ter benefícios comportamentais com aumento da ingestão de ácidos graxos. É o que revelam estudos clínicos realizados com o Óleo de Prímula, cujos resultados positivos foram percebidos após três meses de uso.

Ele é utilizado também como coadjuvante no fortalecimento do nosso sistema imunológico, além de ser indicado no tratamento de doenças como a artrite reumatoide.

Pesquisas apontam que o Óleo de Prímula é capaz de ajudar até mesmo no tratamento do câncer de mama.

Outras propriedades medicinais atribuídas ao óleo são: combate a males como esclerose múltipla; ações adstringente, diurética, sedativa e laxante.

E ainda: esse óleo poderoso, rico em ômega 6, pode ser associado a outros óleos vegetais, em especial ao de linhaça, fonte de ômega 3.

O equilíbrio entres eles costuma ser mais benéfico que o uso de apenas um ou outro.

Uma, ou melhor, duas provas de que nem toda gordura traz malefícios para o corpo.

Afinal, não basta consumir somente um grupo alimentar, mesmo que ele seja extremamente saudável. O excesso dele causará desequilíbrio de nutrientes, favorecendo o surgimento de diversos problemas.

Para funcionar corretamente, nosso organismo precisa de gorduras, inclusive para criar as células. Mas não é de qualquer espécie ou em qualquer quantidade. E o Óleo de Prímula é um colaborador e tanto nesse sentido.

Óleo de Prímula engorda ou emagrece?

Não há pesquisas que atestem a eficácia do Óleo de Prímula na perda de peso. Uma ideia que, diga-se de passagem, surgiu por causa do fato de o óleo auxiliar na redução da gordura saturada, um dos vilões da saúde dos vasos sanguíneos.

Encontrada principalmente na carne vermelha, essa fonte de energia é responsável pelo entupimento das veias e, por isso, pode levar a infartos cardíacos ou AVC.

Mas não existe qualquer ligação direta entre o Óleo de Prímula e o emagrecimento.

Quanto ao risco de engordar ao consumir o produto, ele pode ser minimizado com acompanhamento profissional adequado.

Aliás, apesar de ser um “medicamento” natural, o Óleo de Prímula pode desenvolver efeitos negativos. Entre eles, a sensação de náusea, facilitando a ocorrência de vômitos e estômago embrulhado.

Quanto às gestantes, elas não devem ingerir o produto, já que o óleo altera a produção de hormônios, tentando levá-los aos valores normais.

Ou seja, índices que não valem para grávidas, pois o desequilíbrio hormonal faz parte do processo de desenvolvimento da criança.

Cuide-se, e até a próxima!

Deixe seu comentário!