Uncategorized

Óleo de alecrim: Saúde, pele e cabelos impecáveis

Óleo de alecrim

Chá de alecrim + 10 gotas de óleo essencial de alecrim = cabelos mais saudáveis e bonitos. Colocada em um borrifador, a mistura é aplicada no couro cabeludo. Uma massagem para penetrar o produto completa a fórmula da beleza. E tem muito mais no post de hoje!

O alecrim é uma planta de cheiro agradável e forte. O óleo de alecrim traz uma variedade grande de efeitos terapêuticos, para manter saúde, pele e cabelos em dia.

Por falar em madeixas, uma das causas das quedas dos fios é a exposição do nosso corpo aos famosos radicais livres. São eles os responsáveis pelo envelhecimento precoce das células e, por consequência, pelos danos ao folículo capilar.

O alecrim é bom para regenerar, tratar a queda e favorecer o crescimento dos cabelos porque é muito rico em antioxidantes. Afinal, estes são as principais armas contra os radicais livres.

E não é só isso! A calvície é muito influenciada pelo excesso de sebo no couro cabeludo e, também, pela presença do hormônio responsável pela queda de cabelo (DHT) – especialmente nos homens. O alecrim tem efeito antisseborreico e é capaz de reduzir a ação do DHT, de acordo com pesquisas internacionais.

Ao preparar a receita descrita no começo deste artigo, faça uma infusão forte com folhas (verdes ou secas) de alecrim, mas em pequena quantidade, no máximo 100 ml.

Se as folhas estiverem verdes, deixe-as na infusão até chegar à cor amarelada, para que liberem suas propriedades.

Aplique o alecrim no cabelo molhado ou seco, evitando o comprimento dos fios, e massageando bem o couro cabeludo, três vezes por semana. Geralmente, o tratamento apresenta melhores resultados lá pelos seis meses de uso.

Saiba mais sobre o óleo de alecrim e suas aplicações

Para auxiliar o sistema circulatório, por exemplo, são indicados banhos e massagens com óleo de alecrim.

Já os benefícios para o sistema hepático podem ser obtidos também com banhos e massagens, além de aplicações locais.

Quando a ideia é acalmar o sistema nervoso, inalações, banhos e massagem com óleo de alecrim são recomendados.
Precisando melhorar a digestão dos alimentos? Aplicação local, compressas e banhos com óleo de alecrim podem ser úteis.

Músculos e articulações, por sua vez, pedem compressas, massagem local ou banho com óleo essencial de alecrim.

Se a ideia é utilizar o produto em inalação, você pode ferver água e, em uma xícara, adicionar gotas do óleo de alecrim para respirar profundamente. Existem, ainda, os aromatizadores, vendidos em lojas especializadas.

Um detalhe importante: nunca utilize o óleo essencial puro na pele. Ao optar por massagens, tenha sempre um óleo carreador.

Entre as utilidades do óleo essencial de alecrim estão:

  • Ação estimulante da memória
  • Ajuda a aliviar a retenção de líquidos no corpo
  • Alivio de dores de cabeça
  • Combate à caspa
  • Favorece a concentração
  • Melhora a circulação (massagem)
  • Melhora no aspecto da celulite
  • Minimiza desconfortos respiratórios
  • Possui propriedades calmantes, assim como o chá de alecrim
  • Promoção do crescimento dos cabelos
  • Redução dos sinais de acne
  • Tratamento alternativo em quadros de pressão baixa
  • Atua como coadjuvante no tratamento da calvície
  • Estimula o córtex adrenal, sendo capaz de reduzir sintomas de exaustão nervosa e até depressão

Veja um resumo dos benefícios do alecrim

  • Adstringente
  • Analgésico
  • Antidiarreico
  • Antigota
  • Antinevrálgico
  • Antirreumático
  • Antisséptico
  • Carminativo (ajuda nos gases intestinais)
  • Cicatrizante
  • Estimulante cerebral
  • Estimulante do córtex suprarrenal
  • Estimulante gral
  • Hipertensivo
  • Parasiticida
  • Sudorífero

Você encontra o óleo de alecrim em casas de produtos naturais e outras do gênero, inclusive pela internet. Lembrando sempre de verificar possíveis contraindicações.

O óleo essencial de alecrim não deve ser utilizado em crianças com menos de sete anos, hipertensos, epiléticos e grávidas.

E ainda: óleo essencial nenhum é remédio. No máximo, serve de coadjuvante em tratamentos médicos, quando devidamente autorizados. Também não deve ser ingerido. Consulte sempre seu médico. Cuide-se!

Até breve!

Deixe seu comentário!